/A ALFABETIZAÇÃO DO OLHAR NO ENSINO DA ARTE

A ALFABETIZAÇÃO DO OLHAR NO ENSINO DA ARTE

O ensino da arte propicia o conhecimento da linguagem que levará a habilidade de decifrar códigos. Este conhecimento chegará até os alunos através da alfabetização do olhar, que será construída a cada ano, aumentando o repertório de informações e a possibilidade da leitura mais consciente do mundo.

É na escola que os alunos terão acesso a este   conhecimento tão importante de se obter na época atual, através do trabalho dos professores e do exercício da leitura de imagens, que possibilitarão que sejam feitas análises e conexões, preparando estes alunos para serem reflexivos e críticos, diante do que lhes é apresentado para que assim, tenham uma atuação plena e consciente  no  mundo que os cercam. Os textos a seguir tratam desta problemática e apontam caminhos para a efetiva prática da educação do olhar na escola.

REFERÊNCIAS

Criar arte é ver o mundo como que pela primeira vez. É buscar a origem, o gesto que o fundou. É reaprender cada coisa, cada objeto, é dar novos significados às coisas existentes, é reinventar, reconduzir, reconstruir (MORAIS, 2001, p. 205)

Com a arte podemos sempre transformar e criar algo. Aprender arte nos dá a possibilidade de encontrar novos caminhos, novos olhares para uma nova percepção do mundo. O ser humano é um ser simbólico, e tem, portanto, a capacidade de se apropriar de informações, criar um mundo novo a   cada dia repleto de novas representações e é neste sentido que o ensino da arte é tão importante e necessário nas escolas.

A arte deve ser entendida como conhecimento e linguagem, e desta forma sua prática levará os alunos a adquirirem e aprenderem a se comunicar usando este novo tipo de linguagem. A escrita da arte nas imagens e obras é feita através de um sistema de representação que utiliza principalmente: cor, luz, sombra, forma, som, gestos, silêncio, movimento   etc.,   que são símbolos com os quais o aluno, com alguma intenção, faz uma leitura e criam uma obra, dando novos significados a todos estes elementos que foram citados. Ao usar diariamente esta linguagem para se expressar, o aluno vai iniciando a alfabetização do seu olhar, construindo e aprimorando um repertório de símbolos visuais e sensoriais que o ajudará a ler o mundo que está ao seu redor de forma simbólica.

“Cada indivíduo, como um ser simbólico que é, realiza o ato de simbolizar utilizando sistemas de representação para elaborar e objetivar seus pensamentos e sentimentos com o intuito de compreender o que se passa no mundo” (MARTINS, 1998, p.36).

O professor de Arte é, pois, um alfabetizador artístico, mediador entre arte e aluno. Assim como passamos por um período de alfabetização da língua, quando crianças, deveríamos ter tido também a alfabetização do olhar, do sentir, do expressar. A construção desse conhecimento sensível é obtida através do contato com formas artísticas e suas diversas manifestações, sejam elas corporais, sonoras ou plásticas. A preocupação prioritária do educador artístico deve ser a construção do olhar.

Por meio do ensino da arte e do treino do olhar, os alunos passam a entender os sistemas de representação produzidos pelo homem, pelas sociedades e pelos meios de comunicação, podendo penetrar e capturar a realidade artística ou social, de forma consciente. É impossível uma compreensão crítica dos meios de comunicação de massa ou de produtos que são oferecidos diariamente aos alunos sem saber ler tais imagens, saber interpretar tais produtos e imagens é muito necessário, por este motivo a educação do olhar dos é tão necessária.

A LEITURA DE IMAGENS

A leitura de imagens é uma ferramenta didática muito rica.   Desde   que a as técnicas de leitura de obras da arte foram levadas para a escola, os professores passaram a se utilizar algumas destas técnicas para aperfeiçoar seu trabalho e ampliar as possibilidades de ensinar seus alunos a lerem seu próprio mundo.

Quando os alunos pensam que estão apenas descrevendo o que está objetivamente à sua frente, estão, na verdade, interpretando. Suas falas são interpretações do que veem. Tais interpretações são geradas nos contextos por eles vivenciados, pois nada pode ser reinterpretado sem que haja uma ligação real com tudo que eles conhecem e vivenciam em seu dia- a-dia. A compreensão estética é, então, uma construção social, pois as ideias colocadas para fora durante a leitura das imagens, estão ligadas ao seu cenário cultural e diretamente relacionada ao seu discurso diante da vida.

A leitura de imagens pode ser utilizada pelo professor de arte como uma ferramenta didática, que lhe abre um leque de possibilidades. Existem muitas formas de conduzir este tipo de trabalho, apresentamos a seguir um roteiro que poderá ser utilizado, de acordo com as seguintes etapas:

  • Aquecimento: momento no início da aula, onde o professor prepara seus alunos para a experiência de observar a obra;
  • Descrever: perceber a obra e verbalizar todas as características que serão observadas, fazendo uma lista de tudo que for sendo falado pelos alunos;
  • Analisar: verificar a forma como a obra foi feita e o que pode ser percebido ao verificar os elementos da composição e as técnicas utilizadas, as ideias intrínsecas à obra de arte;
  • Interpretar: as respostas pessoais e sensoriais à obra; como o aluno se sente em relação à obra;
  • Fundamentar: relacionar o que   está se vendo com os dados históricos da obra e do artista que a produziu;
  • Revelar: momento de criação onde os alunos dão um novo significado a obra que foi analisada em grupo.

Para que a leitura de imagens seja um elemento fundamental nas aulas de arte e seja colocada como um objetivo no processo educacional, visando possibilitar aos alunos uma nova compreensão do mundo, faz-se   necessário   que o professor respeite as condições e a natureza da construção do conhecimento, para que a leitura seja prazerosa e enriquecedora e não algo monótono e obrigatório.

“A educação deveria prestar atenção ao discurso visual. Ensinar a gramática visual e sua sintaxe através da arte e   tornar   as crianças conscientes da produção humana de alta qualidade é uma forma de prepará-las para compreender e avaliar todo tipo de imagem, conscientizando-as de que estão aprendendo com estas imagens”. (BARBOSA, 1998, p. 17)

A uso  da  técnica de leitura de imagens proporcionará  aos alunos a construção ano após ano, de um novo repertório para o seu discurso verbal daquilo que é visto e não lido ou ouvido, assim como aprenderam   o   alfabeto e decifrarem  o  código  da leitura, com o treino visual o aluno também será levado a entender  os códigos que algumas imagens carregam e terá uma expressão própria ao lidar com as informações visuais e com a produção dos artistas, reconhecerá também com o decorrer do tempo as imagens que são utilizadas para alienar, tornando-se consciente e crítico.

LENDO OBRAS DE ARTE

Quando uma obra de Arte é observada, o observador, inicialmente percebe os elementos mais simples e gradualmente vai percebendo os mais complexos.  O assunto da obra ou mesmo seu título podem ajudar neste processo. O conjunto de elementos visuais expressa o que o autor sente do mundo. Quando observamos um quadro pela primeira vez, o conjunto dos elementos visuais nos dá uma sensação de equilíbrio, de   conjunto, e quando o quadro não está equilibrado, parece que   está    incompleto ou com alguma coisa sobrando.  Só   depois que nos acostumamos com o quadro é que percebemos as formas detalhadamente.

A dinâmica   entre as figuras, formas ou elementos pode ser mais simples ou mais complexa. Quanto maior tensão houver na escolha dos elementos visuais por parte do artista, maior atenção haverá por parte do expectador. O conjunto das formas numa pintura pode estar distribuído de inúmeras maneiras trazendo uma série de informações como:

-O que é o fundo da imagem e o que é a figura;

-O que está na frente e o que está atrás;

-O que está em movimento e o que está parado;

-O que está iluminado e o que está escuro;

-O que está mais colorido ou não, etc.

Durante este exercício o professor deve fazer perguntas aos seus alunos, tentando conduzir a leitura para que seus alunos tentem captar as características mais importantes da obra. A escolha das obras de arte durante as aulas, deverá estar relacionada ao conteúdo pré-estabelecido no planejamento  do professor e direcionada de acordo com a capacidade dos alunos. É importante deixar que os alunos perguntem, apreciem, critiquem e comentem, retirando deles todas as sensações, tudo aquilo que eles pensaram ou sentiram ao apreciar a obra.

O professor ao selecionar as obras precisa estudar antes sobre   elas,    para   que o direcionamento durante o exercício seja consciente,  pois   será ele quem  irá  organizar os questionamentos de todos, por isso é preciso que ele esteja sempre em constante aprendizagem, tentando se atualizar e buscar novas informações para modificar com o passar do tempo seu próprio olhar sobre  a arte, Segundo Ana Mae Barbosa:

A necessidade de alfabetização visual vem confirmando a importância do papel da Arte na Escola. A leitura do discurso visual, que não se resume apenas à análise de forma, cor, equilíbrio, movimento, ritmo, mas principalmente é centrada na significação que esses atributos, em diferentes contextos, conferem à imagem é um imperativo de contemporaneidade. (BARBOSA, 2003, p.18).

Os alunos precisam estar  preparados  para ler este mundo de hoje, no qual as informações chegam até eles de forma tão rápida e logo se modifica e se transforma, ensinar a ler imagens, é ensinar também a digerir informações visuais e saber separar aquelas que não tem importância, daquelas que são mais relevantes e expressivas. Saber relacionar as imagens aos princípios aos quais elas pertencem deve fazer parte do ofício de ensinar a arte.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O presente artigo foi escrito para contribuir para a reflexão sobre a relevância da inserção da alfabetização do olhar na educação oferecida nas   escolas.   Saber   ler e    interpretar    imagens é   fundamental   na época atual, na qual as informações são passadas a cada dia de forma mais acelerada, exigindo assim que seus leitores façam uma análise rápida, guardando consigo somente aquilo que for essencial, um aluno bem preparado terá condições de fazer este exercício.  A leitura de imagens durante as aulas, levará os alunos a fazerem mais tarde a leitura do próprio meio social. Nossos professores precisam estimular em seus alunos este conhecimento, alfabetizando seus olhares e sabendo ser críticos quando for necessário. É na escola que exercitarão este conhecimento, com a ajuda dos professores que   atuarão   sempre de forma a estimular esta habilidade como facilitadores do processo de aprendizagem.