/A MODELAGEM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR

A MODELAGEM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR

Esse trabalho apresentado o resultado de uma pesquisa sobre a utilização da Modelagem Matemática no Ensino Superior. Para isso é preciso conhecer a prática da modelagem matemática, sua proposta de ensino, suas estratégias, métodos e benefícios para o ensino superior, explorando a utilização da modelagem matemática em cursos de formação de professores, uma construção didática. A pesquisa tem uma abordagem qualitativa, baseada em dados coletados em artigos e literaturas matemáticas. A apreciação da pesquisa é de elencar a contribuição para uma boa compreensão dos conteúdos matemáticos na pratica de aprendizagem do ensino superior.

INTRODUÇÃO

A Modelagem Matemática no Ensino Superior atualmente é um tema de muitas pesquisas, além de que é utilizada amplamente como estratégias de ensino-aprendizagem. Tal modo que esse interesse possibilita uma estratégia de contribuir com a autonomia e independência do discente transformando sua posição à frente da Matemática.

Esta pesquisa tem um cunho analítico parcial de dados investigativos com o objetivo de obter o senso crítico do aluno do ensino superior, licenciando em matemática. Essa pesquisa se propõe investigar a contribuição da modelagem matemática para uma boa aprendizagem contextualizada e significativa.

Diversos trabalhos são abordados também com a Modelagem Matemática no Ensino Superior como Piva, Dorneles e Spilimbergo (2005) e Freitas e Sant’ Ana (2007). Almeida e Dias (2004) apresentam reflexões sobre a Modelagem com licenciando em Matemática, apontando a integração de conteúdos, a atividade cooperativa, o papel do professor como orientador e a necessidade percebida juntos os discentes validar o modelo por eles produzido como fatores importantes. Evidenciando que a Modelagem Matemática proporciona aos discentes a atribuição de significados à Matemática e, sua aplicação na formação de professores, influencia diretamente nas expectativas destes quanto à Modelagem Matemática como prática pedagógica em sua futura vida profissional.

Deste modo, proporcionar uma boa compreensão sobre a Modelagem Matemática e sua prática didática, é bem como promover uma discussão entre autores e a prática docente no Ensino Superior atendendo os anseios dos profissionais da educação no desenvolvimento de um ensino que possa permitir uma aprendizagem mais eficaz e significativa. A contribuição se dá na oportunidade em utilizar algumas habilidades e estratégias na investigação de problemas reais, de interesse do licenciando em matemática. Portanto, nesta pesquisa abordamos a Modelagem Matemática com algumas experiências com Licenciados em Matemática. Esta abordagem é diferenciada, uma vez que os alunos são do ensino superior e estão construindo sua profissão a partir de suas vivências.

APRECIAÇÃO DA MODELAGEM MATEMÁTICA PELOS FUTUROS PROFESSORES

A primeira pergunta realizada foi sobre a metodologia utilizada nas aulas, e sobre essa forma utilizada de aprendizagem, afim de despertar o gosto e o ganho pela matemática. Argumentaram quanto à matemática a ser trabalhada. Nesse sentido, as vozes da pesquisa convergem para os achados de Burak; não é fácil trabalhar a Modelagem Matemática em sala de aula, acreditar no trabalho do professor, na sua metodologia de ensino, na sua pratica pedagógica, é necessário para que o aluno se sinta confiante e seguro na disciplina. A construção da didática matemática no ensino superior tende-se atualmente a evoluir em uma ampla perspectiva na vida profissional do licenciando em matemática. É um trabalho diferencial de qualquer outro, com estratégias de abordagens que aumentam as possibilidades de ensino- aprendizagem nas aulas do Ensino Superior.

Em qualquer disciplina se faz necessário um planejamento, uma boa abordagem didática, o que fazer em sala, como construir uma boa aula, como ser dinâmico na prática da matemática, e como transformar essa aula é uma experiência construtiva a qual o aluno possa vivencia-la e concretiza-la em sua vida profissional. A possibilidade de construir e explorar novas abordagens com a Modelagem Matemática é de punhos significativas para a pratica do ensino superior, favorecendo o uso de suas estratégias, na sua maneira de agir, de pensar, de projetar um bom plano matemático, valorizando as experiências de aprendizagem.

A importância desta pesquisa se torna cada vez mais forte no aprendizado do Licenciando em Matemática, considerando argumentar a responsabilidade na formação deste profissional enquanto “professorando”, trabalhar a motivação, o cotidiano, despertando vantagens sobre o mundo da matemática em sala de aula.

COMO IDENTIFICAR A MODELAGEM MATEMÁTICA EM UMA ATIVIDADE?

Os procedimentos que identificam os passos da modelagem, segundo Biembengut e Hein (2003) são:

  1. a) Interação: esta etapa é identificada pela pesquisa e o reconhecimento da situação-problema. Geralmente, o problema surge em outras áreas do conhecimento, a investigação é fundamental para a familiarização do tema e a seleção de dados para o processo de resolução do problema.
  2. b) Matematização: este período proporciona um desafio maior para quem vai desenvolver a pesquisa e subdivide-se em formulação e resolução do problema, traduzindo, através da linguagem matemática a situação real para um modelo matemático que poderá solucionar o problema inicial.
  3. c) Modelo matemático: esta etapa consiste em validar ou não a solução encontrada para o problema, verificando o grau de confiabilidade na sua utilização e a sua aplicação em outras situações análogas.

A Interação, momento em que o grupo busca informações sobre o assunto, em livros, revistas, entrevistas, observações e outras fontes. Quanto maior for o envolvimento e o aprofundamento com o tema, maior será a facilidade em compreendê-lo. Nesta etapa, o professor deve promover a investigação do assunto por parte dos alunos no sentido de entender cada vez mais o entorno a ser pesquisado.

Aguçados pela curiosidade inerente à idade e incentivados pelo professor, os alunos iniciam a Matematização, ou seja, o surgimento de perguntas decorrentes da análise dos dados coletados e das observações feitas diretamente no ambiente pesquisado.

O desenvolvimento, a formulação e a construção do pensar matemático através de um modelo matemático adequado para a resolução dos problemas levantados.

A Modelagem Matemática permite uma análise crítica das soluções levantadas através de hipóteses. Nesta etapa, busca-se discutir e analisar as possíveis soluções encontradas e verificar a coerência e consistência de cada uma delas.

Sobre o tema, Meyer (1998, p.70) fala sobre a subjetividade:

[…] nem sempre é única a ferramenta matemática escolhida para a análise e compreensão de um problema – e diferentes caminhos podem levar a respostas diferentes, porém que cheguem a uma mesma conclusão no final do ciclo da modelagem, ou não!

Dentro da matemática permite uma interação e uma interdependência entre eles, de modo que um mesmo assunto pode ser aplicado em diferentes momentos e retomado sempre que necessário. A fase final da Modelagem Matemática constitui-se na validação dos resultados encontrados para a resolução do problema. Esta etapa consolida um trabalho de pesquisa que mostra uma matemática utilitária e real, que resolve problemas do cotidiano.

O trabalho com Modelagem Matemática é de suma importância dentro do ensino Superior, e hoje, como uma forte tendência de metodologia a ser utilizada por professores de matemática. A Modelagem Matemática pode ser a estratégia que fornece ao professor a possibilidade de mostrar está ciência em todas as suas nuances e isto aponta para a utilização desta estratégia de ensino na formação de professores de matemática.

O Ensino da Matemática, entendida neste aspecto, pode ser abordada por meio de tendências metodológicas que fundamentam a prática docente. Entre estas tendências destacam-se: Resolução de Problemas no uso de Mídias Tecnológicas, História da Matemática, Investigações Matemáticas e Modelagem Matemática. Como o objeto deste trabalho é o uso da Modelagem Matemática para o ensino superior priorizar-se-á esta tendência metodológica em relação às demais tendências enunciadas nas Diretrizes Curriculares para a Educação de Ensino Superior. Neste sentido fenômenos diários se apresentam como elementos para análise que resulta na compreensão do mundo como ele é, possibilitando uma visão crítica de acontecimentos vivenciado pelo Licenciando.

Os benefícios da utilização da Modelagem Matemática como instrumento metodológico no Ensino Superior são muitos, dentre eles, segundo Almeida e Dias (2004), pode-se destacar a motivação dos alunos e do próprio professor, visto que aprender algo real e que faz parte no cotidiano é bem mais agradável do que aprender o abstrato, facilitando a aprendizagem e, consequentemente, obtendo resultados melhores na avaliação. O desenvolvimento do raciocínio, lógico e dedutivo em geral também é valorizado nesta metodologia, pois estimula o pensamento reflexivo do Licenciando em Matemática e o leva a relacionar conceitos.

Sobre estes benefícios, Santos e Bisognin (2007, p.101) dizem que:

Para que isso de fato aconteça, deve se buscar a transformação das práticas escolares, aproximar a teoria da prática e a prática da teoria, com uma postura interdisciplinar, permitindo, assim, o desenvolvimento de habilidades a partir de experiências vivenciadas. (SANTOS E BISOGNIN, 2007 in BARBOSA; CALDEIRA; ARAÚJO,2007).

 Considerando que a utilização da Modelagem Matemática como estratégia de ensino nas aulas de matemática, no ensino Superior e a presença de novas conquistas, de novas abordagens de experiências de ensino, aproximando a prática da teoria e a teoria da pratica, fundamentando assim, uma nova postura singular de desenvolvimento acadêmico.

Os resultados de aplicação da Modelagem Matemática como estratégia nas aulas de matemática são apresentados juntamente com uma análise de dados a qual, buscamos compreender a transformação interdisciplinar da disciplina durante a aprendizagem do aluno em sala de aula. A formação superior tem por objetivo uma nova proposta curricular que deve desafiar o acadêmico a realizar ações que relacionem a teoria e a pratica desde o início do processo.

A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA NO ENSINO SUPERIOR

Para Barbosa (2004), a formação inicial e a continuada são o “ambiente” ideal para os primeiros contatos com a Modelagem Matemática. A prática no desenvolvimento de atividades com Modelagem Matemática pode, mesmo que não apresente efeito imediato na melhoria da aprendizagem, propiciar um acúmulo maior de conhecimento e um repensar na prática pedagógica do professor, isso, ao longo do tempo, pode agregar-se as alternativas e proporcionar um ensino de Matemática mais voltado para a realidade do aluno, ou seja, mais significativo, pois pesquisas com a de Cury (2003) apontou dificuldades dos alunos na compreensão dos conteúdos de Matemática. Dessa forma, encontrar alternativas metodológicas que se somem às metodologias tradicionais é urgente. E de acordo com Silva e Klüber (2012) a Modelagem Matemática pode ser uma dessas alternativas metodológicas, pois é capaz de trazer inúmeros benefícios como incentivo à pesquisa, interação, desenvolvimento do senso crítico, contextualização, problematização dos conteúdos, entre outros.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante este estudo, foi possível analisar e investigar os dados que se refere a importância da Modelagem Matemática como uma prática didática no Ensino Superior. Educar através da pesquisa é um desafio agradável, mas não é fácil o trabalho do professor em sala.

A importância do uso da Modelagem Matemática no ensino na Educação Superior se mostra interessante no sentido de que possibilita um olhar diferenciado sobre os conteúdos matemáticos. Permitindo perceber alguns fenômenos reais sendo desvendados ou esclarecidos através de conhecimento matemático. A pesquisa também se torna importante neste momento, pois busca fontes e dados que ajudam na elucidação de um problema, portanto a Modelagem auxilia no surgimento de novos pesquisadores e na formação de novos professores de matemática.

Concorda-se com Zabalza (2004, p. 195) que “[…] os alunos aprendem por meio de um processo que vai enriquecendo progressivamente os conhecimentos que já tinham” e essa aprendizagem vai modificando o conhecimento do aluno e aprimora a sua formação.

Este estudo proporciona outra visão da Educação Matemática, se percebe a grandeza da ciência a qual o professor tem um papel importante, para propor os espaços para o aluno de Licenciatura em Matemática, uma nova perspectiva de construção de conhecimentos produzida pela parceria entre aluno e professor/orientador.

POR: MÁRCIO LOPES DA SILVA